Empresa canadense ensina robô a agir como humano
27 de outubro de 2016
Microsoft revela linha de óculos de realidade virtual para PC
31 de outubro de 2016
Mostrar tudo

Bill Gates compartilha visão sobre o futuro da Inteligência Artificial

Fundador da Microsoft acredita que o avanço das máquinas trará dois grandes problemas para a humanidade

Bill Gates está animado com o avanço da Inteligência Artificial. O fundador da Microsoft, porém, tem algumas ressalvas com relação ao conceito, acreditando que o surgimento de máquinas inteligentes criará um ambiente com desafios únicos que precisarão ser solucionados.

“O sonho, finalmente, está se tornando realidade”, sentenciou o executivo. De fato, durante muitos anos, ele esteve envolvido na construção de ferramentas de reconhecimento de voz e visão computacional.

Agora, Gates observa que há bastante progresso, o que lhe dá a segurança de que na próxima década veremos robôs executando diversas tarefas do cotidiano, desde dirigir até tomar conta de estoques em armazéns. Na sua visão, nada impede que as máquinas substituam alguns trabalhos desempenhados por humanos.

Há alguns meses, em uma entrevista ao Re/Code, o executivo expôs sua visão de que a Inteligência Artificial trará dois grandes problemas. O primeiro reside no fato de que vai eliminar diversos empregos que existem atualmente.

De um lado isso exigirá um grande esforço para recapacitar mão de obra. Olhando a parte meio cheia desse copo, ele acredita que essa troca do humano pela máquina permitirá que as pessoas aproveitem melhor o tempo ocioso.

O seguindo ponto que lhe preocupa, obviamente, versa sobre a certeza de que o homem terá controle sobre as máquinas. Quando indagado, Gates disse que tem planos de investir tempo com pessoas que tragam ideias que ajudem a resolver essa questão.

Para quem quiser aprofundar-se no tema da Inteligência Artificial, o fundador da Microsoft recomendou a leitura de alguns livros, dentre o quais a obra “The Master Algorithm”, de Pedro Domingos, e “Superintelligence: Paths, Dangers, Strategies”, de Nick Bostrom.